segunda-feira, 3 de outubro de 2011

As três peneiras, uma lição socrática

Um homem foi ao encontro de Sócrates levando ao filósofo uma informação que julgava de seu interesse:
- Quero contar-te uma coisa a respeito de um amigo teu!
- Espera um momento – disse Sócrates – O que vais contar-me passou pelo crivo das três peneiras.
- Três peneiras? Que queres dizer?
- Vamos peneirar aquilo que quer me dizer. Devemos sempre usar as três peneiras. Se não as conheces, presta bem atenção. A primeira é a peneira da VERDADE. Tens certeza de que isso que queres dizer-me é verdade?
- O que sei foi o que me contaram.  Não sei exatamente se é verdade.
- Então suas palavras já vazaram a primeira peneira. Vamos então para a segunda peneira: a da  BONDADE. Será bom o que me queres contar? 
- Não, Sócrates! Absolutamente, não!
- Então suas palavras vazaram também a segunda peneira. Vamos agora para a terceira peneira: a peneira da UTILIDADE. Pensaste bem se é útil o que vieste falar a respeito do meu amigo?
- Útil? Na verdade, não.
- Então, se o que queres contar-me não é verdadeiro, nem bom, nem útil, então é melhor que o guardes apenas para ti.
E Sócrates conclui:
- Se passar pelas peneiras, conte! Tanto eu, quanto você e os outros iremos nos beneficiar. Caso contrário, esqueça e enterre tudo. Será uma fofoca a menos para envenenar o ambiente e fomentar a discórdia. Devemos ser a estação de qualquer comentário infeliz! 

Portanto, é melhor pensarmos um pouco mais, antes de sairmos por aí divulgando qualquer assunto sobre qualquer pessoa.

0 comentários:

Mais vistas:

Palavras-chave

filosofia (412) cultura (332) sociologia (307) política (274) educação (271) ética (97) futebol (75) cidadania (69) Deus (56) literatura (55) Luiz Felipe Pondé (48) florânia (43) artes (40) teologia (40) diário da copa (35) Brasil (34) poesia (33) Platão (31) natureza (26) Nietzsche (25) Bíblia (24) sócrates (23) Cristo (22) Lévinas (22) vida (22) amor (21) alteridade (20) liberdade (20) Religião (19) antiguidade (19) justiça (19) copa 2014 (16) economia (16) (16) ecologia (15) férias (15) Aristóteles (13) Jesus (11) livro (11) Heidegger (10) Pedagogia (10) Zizek (10) história (10) música (9) poder (9) Foucault (8) Kant (8) dialética (8) Marx (7) família (7) tecnologia (7) Ulisses (6) felicidade (6) mito (6) morte (6) seleção (6) simpsons (6) tempo (6) valores (6) Existencialismo (5) Sartre (5) ciência (5) Adorno (4) Agostinho (4) Borges (4) Deleuze (4) Filosofia da existência (4) Heráclito (4) Spinoza (4) Sören Kierkegaard (4) Tomás (4) homem (4) paz (4) verdade (4) Chauí (3) Hannah Arendt (3) Homero (3) Jorge Amado (3) Luc Ferry (3) Milan Kundera (3) Nelson Rodrigues (3) Rousseau (3) Schopenhauer (3) Senhor (3) humanismo (3) socialismo (3) Descartes (2) Dostoievski (2) Einstein (2) Epicuro (2) Freud (2) Gabriel Garcia Marquéz (2) Hegel (2) Luis Fernando Veríssimo (2) Mircea Eliade (2) Montaigne (2) Newton (2) Paulo Freire (2) Saramago (2) Teatro (2) cotidiano (2) curiosidade (2) humor (2) ideia (2) ideologia (2) juventude (2) libertadores (2) moral (2) nada (2) olimpíadas (2) seca (2) tragédia (2) vontade (2) Adoniran (1) Alcebíades (1) Anselmo (1) Bacon (1) Beethoven (1) Cony (1) Demócrito (1) Diógenes (1) Edgar Morin (1) Emily (1) Empédocles (1) Ferreira Gullar (1) Gadamer (1) Gramsci (1) Haiti (1) Hipócrates (1) Hume (1) Husserl (1) Ionesco (1) Jabor (1) Jaeger (1) James Allen (1) Kepler (1) Lincoln (1) Lobato (1) Locke (1) Louvor (1) Lucrécio (1) Lévi-Strauss (1) Maquiavel (1) Martin Luther King (1) Mary Schmich (1) Maurice Blanchot (1) Nelson Mandela (1) Parmênides (1) Paul Ricoeur (1) Popper (1) Proust (1) Racine (1) Rorty (1) Shakespeare (1) Simone Beauvoir (1) Sílvio Gallo (1) Sólon (1) Terêncio (1) Weber (1) administração (1) adorador (1) criança (1) direitos (1) física (1) gestão (1) gratidão (1) medicina (1) pedofilia (1) psicologia (1) santos (1) saúde (1) ser (1) sujeito (1) voleibol (1) água (1)

Atividade no Facebook